Protestos pela sobrevivência tomam as ruas de Alta Floresta

Desespero de trabalhadores, comerciantes e empresários protestam em passeata pacífica nas ruas de Alta Floresta pelo não fechamento total do comércio. Foto  da Redação

Na manhã desta segunda feira ((29), as ruas de Alta Floresta, cidade pólo localizada no extremo norte de Mato Grosso, distante aproximadamente 830 quilômetros da capital, Cuiabá. O comercio não essencial amanheceu com suas portas fechadas em função de decreto estadual do governo do Estado Mauro Mendes que decretou fechamento das atividades não essenciais por 10 dias.

A medida dura do governo do Estado em função da classificação de Mato Grosso como na fase vermelha desagradou muitos municípios, já que o decreto determina a medida nos 141 municípios do Estado.

O comercio não essencial de Alta Floresta amanheceu de portas fechadas e ruas em clima de velório. Foto – Redação

Com a possibilidade de endurecimento por parte de alguns gestores municipais em acatar ou não as mesmas medidas rígidas do governador, alguns gestores municipais optaram por baixar decretos com medidas menos rigorosa e dentre eles encontra-se Alta Floresta.

Desespero começa tomar conta de trabalhadores e profissionais autonomos que precisam trabalhar para sustentar suas famílias. Protesto tem fins pacíficos de suplica pela manutenção do comércio em funcionamento- Foto da Redação

Haja vista que o prefeito do município defende tese de que barreiras sanitárias não tem surtido os efeitos desejados e que o fechamento geral do comércio seria medida muito rigorosa e desnecessárias em Alta Floresta para o momento, desde que a população cumprisse com responsabilidade as recomendações das autoridades sanitárias.

Ocorre, que outros segmentos do processo democrático, não vê a opção do prefeito Gamba, como a  melhor opção e ante o não acatamento  por parte do gestor municipal da integra do decreto e estadual, o Ministério Público entrou com Pedido de Medida Liminar para cumprimento do Decreto Estadual, que foi deferida provisoriamente em Liminar pelo Juízo de Alta Floresta.

Em tom de descontentamento da determinação judicial e do não acatamento das medidas do gestor municipal Chico Gamba, centenas de trabalhadores do comércio, empresários e comerciantes realizaram passeata motorizada na manhã desta segunda feira, de forma mansa e pacifica. Mas sobre protestos e gritos de que todo o comercio é essencial e pedindo o direito constitucional de ir e vir em tempo de paz.

Alta Floresta tem registrado nos últimos dias relevante número de óbitos em função da COVID-19 e chegou a registrar toda sua capacidade de internação em UTI ocupada.

Aumenta no município o clima de desespero e incertezas do que poderá acontecer nas próximas horas e nos próximos dias. Restando tão somente aqueles que amam a própria vida e a do próximo, cumprirem as determinações das autoridades sanitárias, mantendo o isolamento social no máximo, aqueles que puderem. E praticarem o uso de máscaras e higienização permanente.

Como medida judicial se cumpre e não se discute, o prefeito Valdemar Gamba cumpriu a Liminar determinada pelo Judiciário local e está procurando soluções com sua equipe para amenizar a crise. E, portanto, mais uma vez pede a compreensão e colaboração de todos neste momento de guerra pela sobrevivência.

Ainda é de orientação da ciência, que o avanço no combate à Epidemia do COVID-19, depende e muito da colaboração de todos.Uso de máscara, higienização constante e isolamento social.

Esteja consciente de que está fazendo a sua parte, e também  esteja certo que este surto vai passar e que parte     da solução está na sua  disciplina e no comportamento de cada sobrevivente. Tenha consciência de que a gravidade da situação não é apenas local em Alta Floresta. É nacional. É Mundial. Vamos nos cuidar!

Por Lira Netto

 

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezoito − sete =