Agentes de combate à dengue visitaram mais de 50 mil imóveis em 2017

Mais de 50 mil imóveis comerciais e residenciais já foram vistoriados pelos agentes de endemias da Secretaria de Saúde de Itajaí somente em 2017. O município tem aproximadamente 70 profissionais atuando diariamente na orientação da comunidade contra o Aedes Aegypti. O trabalho intenso tem contribuído na luta contra o mosquito – até esta quinta-feira (02) não foram registrados casos positivos de dengue na cidade.

Conforme balanço divulgado pelo Programa de Controle da Dengue, nos dois primeiros meses do ano foram vistoriados 50.128 imóveis nos bairros Cidade Nova, São Vicente, Cordeiros, São Judas, Vila Operária, São João, Barra do Rio, Praia Brava, Fazenda, Ressacada, Centro, Dom Bosco, Itaipava, Salseiros e Espinheiros. Também já foram feitas, nesse ano, 2.258 visitas em armadilhas instaladas para monitorar e diagnosticar a presença do Aedes Aegypti, além de 745 inspeções em pontos estratégicos, como ferros-velhos, borracharias e outros estabelecimentos propícios a acumular água parada.

Ao todo, são cinco equipes de agentes atuando em diversos bairros do município. Esse grupo está prestes a receber reforço: a prefeitura já chamou, por meio de processo seletivo, mais 12 profissionais para compor uma nova equipe. A medida faz parte de uma série de ações que o município tem desenvolvido, desde o início do ano, para controle da dengue.

Em janeiro, por exemplo, o prefeito Volnei Morastoni decretou a reativação da Sala de Situação, que está ligada a diversas secretarias e órgãos públicos. O objetivo é planejar ações em conjunto para combater a doença, como fiscalizações a estabelecimentos que facilitam a proliferação do mosquito Aedes Aegypti, atividades de conscientização, entre outras medidas emergenciais de apoio ao trabalho dos agentes da Secretaria de Saúde.

No mesmo mês foi iniciado um mutirão de limpeza pelos bairros São Vicente, Cidade Nova e Cordeiros. Até agora a Secretaria de Obras recolheu mais de mil caçambas de entulho e lixo das ruas e terrenos baldios.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *